GAROPABA – UM CAPRICHO DA NATUREZA

O vereador Vico Queiroz (centro) ladeado por jovens empresários do
segmento de Food Truck, em recente evento realizado em Uberlândia
Por Vico Queiroz (*)
Divulgação
FOOD TRUCK UMA NOVA TENDÊNCIA
18 de janeiro de 2016
Novo Uno Sporting começa em R$ 36.650; com todos os opcionais chega a R$ 46.935 (crédito: Divulgação)
Uno Sporting é cheio de mimos e cabe em muitos bolsos
22 de janeiro de 2016

GAROPABA – UM CAPRICHO DA NATUREZA

 

Garopaba é um ótimo destino para os adeptos do ecoturismo e dos esportes de aventura, com algumas das mais belas praias e lagoas do Sul do Brasil

Garopaba é um ótimo destino para os adeptos do ecoturismo e dos esportes
de aventura, com algumas das mais belas praias e lagoas do Sul do Brasil  Foto: Divulgação

 

Um dos destinos mais concorridos do litoral catarinense quando o verão chega para valer; Garopaba oferece de tudo um pouco, atraindo variados estilos de turistas

Por Evaldo Pighini – Com agências

Na década de 1970, atraídos por águas e praias limpas e ondas perfeitas, os surfistas invadiram a pequena vila de pescadores de Garopaba, no litoral catarinense, a cerca de 90 km da capital Florianópolis, descobrindo lá uma das mais bonitas enseadas daquele estado. Na época, o vilarejo contava com poucas casinhas rústicas enfeitadas pela antiga Igreja Matriz de São Joaquim, erguida sobre uma rocha. Desde então, muita coisa mudou e hoje a região central de Garopaba, que virou cidade, está totalmente urbanizada, com bom comércio, restaurantes, hotéis, pousadas, bares e o que mais o turista deseja quando pensa em praia como destino de viagem.

Quem visita Garopaba percebe logo de cara que a natureza foi generosa com a região, presenteando o município com as mais belas praias do litoral catarinense. As suas ondas espetaculares atraem turistas de todas as partes do país que lotam suas charmosas pousadas e bons hotéis. Emoldurando o cenário, lagoas, montanhas, rios e costões emergem por todos os lados. Também não faltam matas, trilhas ecológicas, cachoeiras e diversas alternativas de praticar o ecoturismo.

Em Garopaba, não tem como o turista não se deslumbrar com tanta beleza. Ao todo são nove praias, a maioria ideal para a prática do surfe. A Praia de Garopaba, que dá nome à cidade, fica bem no centro do município é a que oferece maior infraestrutura, dispondo de vários restaurantes, pousadas, hotéis, lojas, postos, farmácias e supermercados. O lugar não é apropriado para o surfe, abrigando principalmente pescadores profissionais, que deixam suas canoas na beira da praia e adeptos de esportes náuticos.

 

A região central de Garopaba é totalmente urbanizada, com bom comércio, restaurantes, hotéis, pousadas e bares Foto: Divulgação

A região central de Garopaba é totalmente urbanizada, com bom comércio, restaurantes, hotéis, pousadas e bares    Foto: Divulgação

Fora a Praia de Garopaba, as demais e menores praias, localizadas na região periférica, mantiveram seu charme rústico, privilegiadas por um mar transparente e uma natureza impecável.  Assim é na bonita Praia do Ouvidor, na Praia Vermelha, Praia Silveira – a predileta para o surfe – e na tranquila Praia da Gamboa. Outro local com charme natural é a bela Praia do Siriú, que fica dentro do Parque Nacional da Serra do Tabuleiro e tem um visual surpreendente onde o mar encontra o Rio Siriú. Tem ainda a agitada Praia da Ferrugem – com barzinhos e badaladas onde a noite é garantida -, a beleza da Praia da Preguiça (ou do Vigia) e da Praia da Barra, todas elas lotadas de surfistas, mergulhadores e gente que gosta de viver a vida de bem com a natureza. E, quando o assunto é surfe, as praias da Ferrugem e Silveira já foram palco de diversos campeonatos internacionais.

Pouco de história

O município de Garopaba está localizado no litoral sul catarinense, a pouco mais de 90 km da capital do estado, e é um dos destinos preferidos dos turistas durante o verão. Seu nome deriva de “ygárampaba”, uma palavra da língua guarani que significa “enseada de barcos”. A escolha do nome foi feita pelos índios Carijós, os primeiros habitantes daquela região e está ligada à origem da cidade, que era um lugar protegido onde as embarcações ancoravam.

Segundo a história, foi em 24 de junho de 1525 que uma expedição comandada pelo espanhol Dom Rodrigo de Acuña ancorou o navio Galeão San Gabriel na baía de Garopaba a fim de se proteger de um forte temporal. Seria esse o primeiro contato do homem branco com os indígenas, que se mantinham da caça, da pesca e do cultivo de verduras.

Localizada no centro histórico da cidade, a Igreja Matriz São Joaquim de Garopaba foi construída em 1846 sobre uma pedra de uma antiga armação de baleias                   Foto: Divulgação

Porém, foi somente em 1666 que os primeiros imigrantes açorianos enviados pelo império português começaram a se alojar em Garopaba, onde caçavam baleias e vivam da comercialização de suas barbatanas e óleo, usado na iluminação pública e também para construção de casas – era misturado à argamassa, que se transformava num tipo de cimento, que ainda não existia.

No século XVII o número de imigrantes aumentou e em 1793 foi criada a Armação de São Joaquim de Garopaba que, em 1830, foi elevada à categoria de Freguesia. Por exigência do Governo Imperial foi feita a Paróquia, cuja instalação oficial se deu apenas em 1846. Quase 20 anos depois, em 1864, o padre italiano Rafael Faraco assumiu a paróquia e, com apoio dos moradores, conseguiu elevar Garopaba à condição de Vila, fato esse ocorrido em 1890, por decreto do Governador Lauro Severino Muller.

Garopaba conquistou a categoria de Município apenas em 19 de dezembro de 1961, quando deixou de ser Distrito de Palhoça. Durante muitos anos continuou a ser uma vila de pescadores, tendo sido posteriormente descoberta pelos hippies e em seguida pelos campistas que fixavam suas barracas a beira-mar. Nos anos de 1970 passou a ser frequentada por surfistas em busca das ondas fortes e tubulares das praias da cidade. Hoje é um dos destinos favoritos não só dos veranistas gaúchos, mas também de turistas uruguaios e argentinos.

A pesca continua sendo a maior fonte de renda do município, acompanhada da agricultura e da produção industrial que vem crescendo nos últimos anos, bem como o comércio voltado para o surf e outros esportes náuticos.

 

Principais praias e pontos turísticos naturais

Foto: Ricardo Júnior

Praia de GaropabaA Praia de Garopaba é delimitada pelo Costão do Siriú e está localizada na área central, bem no coração da cidade. Por ser mais urbanizada, tem melhor infraestrutura, com suporte de hotéis, campings, mercados, farmácias, restaurantes e bares. O mar tem ondas mais calmas, por isso não é apropriada para a prática de surf. Ali a areia batida convida para uma caminhada ou pedalada a beira mar.

Possui 2 km de extensão, que ficam cobertos por cangas e guarda-sóis durante alta temporada. Conforme a lua e a maré, barcos de pescadores também viram parte do cenário. Os prédios e casas de veraneio não podem ultrapassar dois andares de construção, o que garante boa vista do mar nos pontos mais altos da cidade.

Praia do Ouvidor

Praia do Ouvidor

Praia do OuvidorPraia selvagem de grande beleza natural, cercada por dunas de areias claras e costões de pedra, além de muito verde da mata praticamente intocada. O acesso é feito através de uma trilha, de onde se vê à distância o mar azul que bate nas pedras. Devida a ausência de ondas, é o lugar ideal para praticar canoagem, stand up paddle, pescaria e demais esportes náuticos. As dunas são convidativas para se divertir praticando sandboard.

Praia Vermelha - Garopaba

Praia Vermelha – Garopaba

Praia VermelhaAs ondas fortes e tubulares atraem surfistas à Praia Vermelha, que é desconhecida da maior parte dos turistas por estar localizada em uma área particular pertencente à família Johannpeter, do Grupo Gerdau. O acesso por meio de automóvel só é permitido para proprietários das mansões locais, para os visitantes só é possível chegar lá através de trilhas que saem pela ponta sul da Praia do Ouvidor ou da parte norte da Praia do Rosa. Ambas duram cerca de 25 minutos até chegar à praia.

Por estar em uma área de difícil acesso, boa parte da vegetação nativa foi preservada. As encostas com pedras de tons avermelhados que deram origem ao nome da praia ainda permanecem intactos.

Vale lembrar que por se tratar de um espaço residencial, não há infraestrutura turística, portando não existem restaurantes, banheiros ou vendedores ambulantes. É importante levar alimentos e carregar de volta o lixo produzido até encontrar uma lixeira para descartá-lo.

Praia da Gamboa

Praia da Gamboa

Praia da GamboaCercada pela Mata Atlântica, Gamboa é refúgio de pescadores e surfistas, que estão ali para se aventurar nas ondas agitadas do mar aberto. É o lugar ideal para quem busca sossego e descanso, já que está a 16 quilômetros do Centro e só pode ser acessada por trilha e estrada de terra. O caminho é fabuloso e atravessa rios, vales e dunas, além de oferecer uma vista espetacular para a praia.

Praia do Silveira

Praia do Silveira

Praia do Silveira Cercada de morros, a Praia do Silveira é cerca por costões de pedras e ainda guarda a vegetação típica da Mata Atlântica, por isso é escolhida por muitos como a mais bonita da região. Esta não é uma praia indicada para banhos devido as suas fortes ondas e já foi votada como a melhor praia do Brasil para a prática de surf e a quinta melhor do mundo. Não é à toa que frequentemente serve de cenário para diversos campeonatos nacionais e mundiais.

Se localiza a 3 quilômetros do Centro acesso é feito por uma estrada de terra batida com passagem difícil para carros e pouco espaço para estacionamento. É aconselhável ir a pé, andando pelo Morro da Silveira com um grande incentivo da maravilhosa vista.

O acesso restrito contribui para a preservação do local, que recebe constante controle e limpeza por parte dos próprios moradores e pescadores da região. E por falar em pesca, a Praia do Silveira é o lugar de desova da tainha e ali são capturados peixes nobres como sargo, badejo, robalo, garoupa e muitos outros.

Praia do Siriú

Praia do Siriú

Praia do SiriúA Barra do Siriú é um lugar abençoado pela natureza, com morros cobertos vegetação típica da Mata Atlântica, areias fofas e águas cristalinas. Está ao sul da Praia da Gamboa e a norte da Praia de Garopaba, numa área de preservação pertencente ao Parque Nacional da Serra do Tabuleiro, região que vai da Praia do Siriú até o Morro dos Cavalos. Possui dunas que chegam a 40 metros de altura, prefeitas para a prática de sandboard. O surf é outro esporte radical praticado nas fortes ondas da Praia do Siriú. Para quem prefere a calmaria, bem perto dali é possível se refrescar tomando um banho de rio ou relaxar pescando na Lagoa do Siriú, berço de camarões e de várias espécies de peixes.

Neste lugar o turista está em contato constante com a natureza. E para aqueles que visitam a cidade no inverno, poderá ver de perto os espetáculos das baleias francas, que dão o ar da graça nas águas de Garopaba, onde as dunas do Siriú servem de camarote.

Praia da Preguiça (ou do Vigia)

Praia da Preguiça (ou do Vigia)

Praia da Preguiça (ou do Vigia)Essa encantadora praia é conhecida por diversos nomes: Prainha, Preguiça ou Praia do Vigia. É pequena em extensão e possui formato de ferradura, localizada próximo ao centro histórico da cidade, em uma área de residências de alto padrão. Ali perto se encontra a Gruta de Nossa Senhora de Lourdes e um pouco à frente existe uma trilha de acesso ao Costão, onde a água bate forte nas pedras e a vegetação exuberante valoriza ainda mais a visão que se tem lá de cima.

Por ter o mar calmo, é ideal para a prática de stand up paddle e bastante segura para as crianças. Ali é possível “vigiar” a chegada dos barcos na baía de Garopaba, sendo possível enxergar também a Praia do Siriú e da Gamboa.

Praia da Ferrugem

Praia da Ferrugem

Praia da FerrugemCom boa infraestrutura de pousadas, restaurantes, bares e muitas opções de lazer, a Praia da Ferrugem tornou-se uma das mais badaladas do litoral catarinense. Esta é outra praia muito procurada pelos surfistas, uma vez que as ondas altas favorecem a prática deste esporte. Durante a alta temporada, o lugar vira ponto de encontro entre os jovens porque mantém uma vida noturna bem agitada.

Há um canal que separa a praia da Ferrugem da Barra e, devido ao aspecto de ferrugem que fica no fundo do canal quando este está cheio de areia, a praia recebeu esse nome.

Praia da Barra

Praia da Barra

Praia da Barra Ao contrário da anterior, a Praia da Barra é um recanto isolado e tranquilo, ideal para quem está a procura de sossego ou de fazer uma boa pescaria. Além do canal que divide as duas praias, existe um sambaqui que separa os dois lugares e é lá que está situado o Cemitério Indígena, onde se pode observar ossadas humanas e ferramentas utilizadas pelos povos antigos.

Se estiver cansado de nadar na água salgada, poderá banhar-se no riacho ou na lagoa que estão nas proximidades, com águas límpidas e tranquilas, seguro para adultos e crianças.

Daqui é possível pegar uma trilha de 2 quilômetros e ir andando até a Praia do Ouvidor enquanto contempla a maravilhosa paisagem.

 

GAROPABA TEM OUTROS ATRATIVOS, ALÉM DE PRAIAS

Mas, para quem pensa que Garopaba atrai turistas apenas pela beleza de suas praias e mar limpo, se engana. Esse município catarinense tem outros atrativos que também merecem atenção, tais como cachoeiras, dunas e até uma ilha, entre outros, que se configuram num lugar ideal para prática de esportes radicais e outros tipos de atividades ao ar livre.

Cachoeira

Cachoeira Siriú

CachoeirasAs nascentes que formam as cascatas e piscinas naturais se encontram distantes do Centro e das principais praias. Destacam-se as cachoeiras do Macacu, do Siriú (foto) e da Encantada, todas com águas puras e cristalinas que podem ser visitadas de maneira autônoma ou com o auxílio de profissionais. O acesso é fácil e pode ser feito a pé ou de automóvel.

Dunas Roncador

Dunas Roncador

Dunas do RoncadorO conjunto de dunas se estende por três quilômetros e está próximo a uma lagoa de águas tranquilas. Proporciona uma visão extraordinária do mar. É possível alugar prancha e praticar sandboard e se divertir naquela área.

Ilha do Coral

Ilha do Coral

Ilha do CoralA Ilha do Coral está a 45 minutos de barco partindo da enseada de Garopaba e atrai curiosos do Brasil inteiro que querem ver de perto o painel de 2,20m de comprimento e 1,83m de altura com 55 pinturas rupestres datadas de mais de 2 mil anos atrás. Serviços de transporte estão disponíveis em horários variados, que devem ser consultados na própria enseada.

Baleia Franca e seu filhote Foto: José carlos

Baleia Franca e seu filhote
Foto: José carlos

Observação das baleias FrancasEsses mamíferos ameaçados de extinção escolhem o litoral catarinense para procriar e alimentar os seus filhotes. É mais comum que este evento ocorra entre os meses de julho e novembro, quando palestras de conscientização e passeios de barco para observação acontecem em diversos pontos da cidade. Durante o passeio as baleias fazem suas acrobacias, saltando, acenando com a cauda e esguichando água.

Outra forma de conseguir avistar esses animais é indo embarcado com a ajuda do Projeto Baleia Franca, que fica na praia de Itapirubá, em Imbituba. Vale também perguntar aos moradores onde as baleias foram vistas recentemente e se dirigir às praias indicadas por eles, assim como aos chamados “costões”. É aconselhável agasalhar-se, pois costuma ventar nesses lugares, principalmente no inverno.

Trilhas

TrilhasPara adeptos desse tipo de atividade física, é possível conhecer pontos extraordinários de Garopaba, seja caminhando até os morros ou passando por praias e costões de pedras. A primeira opção é fazer a trilha entre a Praia do Ferrugem e a Praia do Ouvidor, que começa com a visitação ao Cemitério Indígena, um sítio arqueológico localizado no morro que divide a Praia do Ferrugem da Barra onde é possível ver utensílios usados pelos índios que ali habitaram, como: pontas de flecha, machados de pedra e amoladores, além de ossadas humanas.

Indo a diante pela trilha da Praia da Barra, o percurso segue pelo costão de pedra que é coberto por pinheiros e gramíneas. É possível encontrar pinturas rupestres durante o trajeto, cujo tempo estimado é de aproximadamente três horas de puro deslumbre diante da visão do mar e da natureza.

Rapel Pedra Branca

Rapel Pedra Branca

Pedra Branca Outra paisagem estonteante é a da trilha que leva até a Pedra Branca, já que o caminho passa por um trecho preservado de Mata Atlântica. O trajeto tem início numa histórica serraria, movida por uma roda d’ água. Ao final da caminhada – que dura por volta de 45 minuto – é possível admirar o cenário paradisíaco visto do alto, composto por vegetação, praias e lagoas. Animais silvestres também podem aparecer para fazer companhia.

O Caminho do Rei, por sua vez, é rodeado por mistérios e lendas dando conta de que vários tesouros foram escondidos ao longo do percurso que o Rei Dom João VI fez quando esteve de passagem pela região, caminho este que leva a diversos recantos, ainda hoje conservados. A trilha começa na Praia do Rosa e termina na Praia do Luz após 6 km. A caminhada é tranquila e perpassa por cachoeiras, piscinas naturais e vertentes d’água. As bromélias são um presente para as vistas dos aventureiros. Lá de cima ainda é possível enxergar a Lagoa do Ibiraquera, na direção da serra do mar.

Foto de Ricardo Junior

Foto de Ricardo Junior

SurfGaropaba oferece praias paradisíacas e próprias para a prática do surf, trazendo surfistas do Brasil e do mundo inteiro durante todo o ano, mas principalmente durante os campeonatos nacionais e internacionais que sedia. A referência ao esporte é nítida no comércio local, não só pelas lojas de roupas, pranchas e demais artigos esportivos, mas também pelas lanchonetes especializadas em sucos e casas de produtos naturais.

A praia da Silveira é a que reúne o maior número de surfistas por apresentar ondas altas e tubulares, ideais para manobras radicais. Além dessa, as praias de Gamboa e vermelha também são favoráveis para a prática do esporte.

Voo Livre

Voo livrePara os aventureiros, Garopaba é um destino imperdível por contar com quatro rampa de decolagem com tamanhos variados, sendo a mais conhecida a do Morro do Ferraz, a 130 metros de altitude, com acesso pavimentado até o local do salto.

Imagine sobrevoar a cidade com vista privilegiada para as magníficas praias, lagoas, matas e dunas. Não é à toa que o município virou referência nacional na prática de asa delta e parapente. Se você já é praticante ou quer fazer algumas aulas, basta entrar em contato com o Aeroclube de Santa Catarina e se informar a respeito das próximas turmas e tempo de curso.

Sandboard

SandboardO Sandboard é um esporte radical criado nos anos 1980 nas areias de Florianópolis como alternativa para os dias em que as ondas não estavam favoráveis para os surfistas. A atividade consiste em tentar manter-se de pé enquanto desce deslizando pelas dunas. Outra opção é o “skibunda”, no qual o trajeto é feito sentado. Independente da modalidade, a descida é feita numa prancha, mas amadores utilizam também pedaços de papelão ou madeira.

Em Garopaba a atividade é praticada durante todo o ano nas areias finas das Dunas do Siriú, sendo que o equipamento pode ser alugado ali mesmo. Os mais habilidosos arriscam manobras do surf, snowboard e skate, o que e indicado apenas para quem tem certa prática no esporte. Embora alguns tombos estejam previstos, o sandboard certamente será uma atividade divertida.

Mountain Bike

Mountain BikeDesbrave a cidade em cima de duas rodas, relaxando e praticando atividade física enquanto contempla a natureza. Os passeios podem ser feitos com guias turísticos que conhecem cada detalhe da região. Os roteiros mais comuns são o da Pedra Branca, atravessando riachos e cachoeiras, ou o da Praia Sul, que percorre as maravilhosas dunas do Ouvidor antes de chegar até a Praia da Barra, onde se situa o cemitério indígena.

A cidade é palco constante de campeonatos nacionais e internacionais. Competidores profissionais e amadores recebem grande incentivo por parte do visual paradisíaco das praias e da natureza quase intocada. As trilhas passam pela mata e também tem trechos na areia e no asfalto, sendo um bom teste de resistência.

 

Quando ir e como chegar

Garopaba é um excelente destino em qualquer época do ano e o período da visita pode ser escolhido de acordo com o interesse do viajante. Prefira o intervalo entre novembro e março se quiser desfrutar das praias paradisíacas da cidade, ou entre julho e novembro se sua intenção for observar as baleias-francas que costumam aparecer durante esses meses.  A cidade apresenta clima mesotérmico úmido, caracterizado pela ausência de estação seca e temperatura anual média de 18,5°C. O verão costuma ser quente, chegando a atingir os 38°C. No inverno, contudo, os termômetros costumam marcar 10°C.

Para chegar até o lugar, no caso de visitantes de outros estados, para que vai de ônibus, é necessário ir até Florianópolis e de lá embarcar com destino a Garopaba. Esse trajeto é feito em diversos horários durante todos os dias da semana e é operado por várias empresas, podendo optar por ônibus convencionais ou executivos. Independente da escolha, todas elas saem do Terminal Rodoviário Rita Maria, em Florianópolis.

Já de carro, o caminho até Garopaba é bem sinalizado e não há com o que se preocupar. Siga pela BR-101 até o Km 273 e em seguida mantenha-se na SC-434.

E, para quem prefere avião, existem voos saindo dos principais aeroportos do Brasil direto para o aeroporto de Florianópolis, que fica a cerca de 90 quilômetros de Garopaba.

Principais distâncias

Florianópolis – 92 km

Curitiba – 379 km

Porto Alegre – 408 km

São Paulo – 750 km

Rio de Janeiro – 1.207 km

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *