HOSPITAL DO CÂNCER VAI TER NOVA UNIDADE DE R$ 15 MILHÕES

O prefeito de Igarapava Carlos Augusto de Freitas, adotou medidas drásticas para enfrentar a crise e manter o seu município em ritmo de desenvolvimento. O resultado agora veio na avaliação do Tribunal de Contas de São Paulo, que avaliou Igarapava entre os melhores do Estado nas áreas de Educação, Saúde, Planejamento Fiscal e Meio Ambiente.
IGARAPAVA DÁ EXEMPLO DE ENFRENTAMENTO DA CRISE
4 de janeiro de 2016
odelmo
“O PT QUEBROU O BRASIL E ESTÁ QUEBRANDO UBERLÂNDIA”
4 de janeiro de 2016

HOSPITAL DO CÂNCER VAI TER NOVA UNIDADE DE R$ 15 MILHÕES

Imagem área: Obras iniciais vão contemplar o Centro de Pesquisa e Diagnóstico e o Centro de Cuidados Paliativos

Primeira etapa da obra abrigará um Centro de Cuidados Paliativos e de Pesquisa e Diagnóstico, inserindo Uberlândia entre as referências nacionais no tratamento de câncer

Com investimento estimado em R$ 15 milhões, o Hospital do Câncer em Uberlândia vai ganhar uma nova unidade que será construída no bairro Alto Umuarama 2. O novo complexo, denominado Unidade 2, vai abrigar ações complementares ao tratamento que já é oferecido no Hospital, ampliando as frentes de combate ao câncer com atividades de Pesquisa, Prevenção, Diagnóstico e Apoio a pacientes durante e após tratamento. O projeto será executado em um terreno de 9.543 m², que foi doado pela Prefeitura de Uberlândia em sistema de cessão e abrigará a Unidade 2 do Hospital do Câncer na qual serão realizadas diversas atividades diferentes e complementares aos serviços existentes na Unidade 1. “Para nós, é um presente e, ao mesmo tempo, uma grande responsabilidade. Ao longo dos anos, conseguimos demonstrar credibilidade. Estamos sempre em busca do melhor tratamento, do diagnóstico precoce, com o propósito de aumentar o índice de cura. Com a Unidade 2, teremos um Centro de Pesquisa e Diagnóstico para melhorarmos o tratamento, sermos mais assertivos e também darmos mais conforto aos pacientes com a doença em estágio mais avançado, por meio do Centro de Cuidados Paliativos”, contou Renato Pereira, presidente do Grupo Luta pela Vida. “Para ter o dobro de tamanho, precisaremos do apoio da população, bem como de doações de empresas. A obra orçada, inicialmente em cerca de R$ 15 milhões, será executada por etapas, à medida que formos levantando os recursos com a ajuda da comunidade. Por esse motivo, não temos como precisar quando concluiremos a Unidade 2”, explicou Renato Pereira. O Hospital do Câncer em Uberlândia se tornou uma referência nacional pela qualidade e quantidade de bons serviços prestados aos pacientes com câncer. O diretor do hospital, o médico Eurípedes Barra, reforçou que a Unidade 1 do Hospital do Câncer também continuará recebendo investimentos do Grupo Luta pela Vida. “Para atender a demanda crescente, que hoje chega a seis mil pacientes/mês na atual estrutura do Hospital, queremos ampliar as áreas do serviço de quimioterapia, enfermaria, adequar o terceiro andar para instalação do serviço de transplante de medula óssea, além da instalação do centro cirúrgico no Hospital do Câncer”, completou.

SEGUNDA UNIDADE VAI ABRIGAR ÁREA ADMINISTRATIVA DO GRUPO MANTENEDOR

Conforme projeto, a unidade 2 do Hospital do Câncer contará com o Centro de Cuidados Paliativos, Centro de Pesquisa e Diagnóstico, estrutura para trabalho dos voluntários e espaço para a realização dos bazares do Núcleo de Voluntários; além da sede administrativa do Grupo Luta pela Vida (mantenedor da instituição) e uma área reservada para projetos futuros. Assim que todos os trâmites referentes ao desenho arquitetônico, complementar estrutural, elétrico e hidráulico estiverem concluídos, eles serão submetidos a aprovações legais necessárias.

Voluntários, diretores e funcionários no dia o lançamento do projeto da Unidade 2 do Hospital do Câncer

Voluntários, diretores e funcionários no dia o lançamento do projeto da Unidade 2 do Hospital do Câncer

As obras iniciais vão contemplar o Centro de Pesquisa e Diagnóstico e o Centro de Cuidados Paliativos. No térreo do Centro de Pesquisa, haverá um espaço voltado para o diagnóstico por imagem e recepção de pacientes para coletas laboratoriais. No mesmo prédio, num outro pavimento, estão projetados espaços para consultórios e propedêutica, que são espaços ambulatoriais de atendimento ao paciente com câncer e população de risco. Ainda nesse primeiro bloco, serão construídos diversos tipos de laboratórios, como o de análises clínicas, de patologia, imunologia e genética, um laboratório de pesquisa na área de cancerologia, além de uma unidade de biópsia. O espaço ainda contempla um pavimento com ambientes de apoio aos funcionários e espaços para futuras ampliações. Por outro lado, o prédio do Centro de Cuidados Paliativos contará com um espaço de hospedaria de grande signifi cado no complexo que estará ligado sensorialmente e visualmente ao espaço público, projetado na ponta da quadra e que não pertence à área do Hospital. “O espaço conta com uma praça que permitirá aos pacientes momentos de refl exão e interação com a natureza. Neste local, voltado para o sol nascente, está projetado um grande palco onde os pacientes que quiserem poderão usufruir de diversas manifestações artísticas, contemplando ao fundo um belo parque”, contou o arquiteto responsável pelo projeto, Zied Sabbagh. Na sequência, será instalado o bloco que receberá os ambientes administrativos, com um anfi teatro e loja de venda de produtos no térreo, seguido do bloco de ofi cinas e bazar, ambientes onde as diversas equipes de voluntários poderão realizar suas tarefas colaborativas. Zied frisou ainda que, para a concepção do projeto, foi realizada uma extensa pesquisa. “Vimos que as melhores soluções são aquelas cujos espaços assistenciais de saúde têm como características acolhimento, modernidade, efi ciência, conforto, segurança, assepsia e confi abilidade. O complexo terá uma grande cobertura, ligando os vários blocos e permitindo uma interação espacial dos pedestres, que terão circulações diferenciadas em relação aos carros.”

CONSTRUÇÃO TEM PROJETO ARQUITETÔNICO SUSTENTÁVEL 

As modernas e agradáveis instalações da Unidade 2 serão privilegiadas pela iluminação natural e generosidade dos espaços. Serão usados tecnologia e recursos naturais tanto fora das edifi cações com iluminação das fachadas e do paisagismo e dentro dos ambientes. O edifício será totalmente acessível e contará com sistemas e materiais sustentáveis, dentro de um critério de custo/benefício que proporcione a excelência buscada. Além destes aspectos, haverá reuso de água, o uso inteligente das energias renováveis, com placas fotovoltaicas nas coberturas dos estacionamentos e dos blocos e uso de espécies vegetais no paisagismo que consomem menos água. O projeto ainda contempla a instalação de um Ecoponto, onde os resíduos do complexo serão destinados para a reciclagem, além do uso de materiais de construção que tenham em sua base produtos recicláveis. O planejamento seguirá rigorosamente as normas da Anvisa que regem a construção de edifícios ligados à saúde e pelos códigos municipais. “Faço parte da ABDEH, Associação Brasileira para o Desenvolvimento do Edifício Hospitalar, entidade que é referência quando se fala em aperfeiçoamento das normativas existentes, assim, procuro projetar além das exigências atuais, pois sabemos que a dinâmica da tecnologia nesta área é muito grande e isto tem que refl etir nos espaços projetados”, disse Zied. A expectativa é dar início às obras ainda neste ano. O terreno fi ca localizado na rua Pedro Zanata/avenida Dom Pedro II (divisa com as ruas Francisco Cândido Xavier e Orli Caetano de Resende), no bairro Alto Umuarama II. CAMPANHA – Para que o projeto da Unidade 2 seja viabilizado mais rápido, o Hospital do Câncer está com uma campanha permanente intitulada: “Pra ter o dobro de tamanho a gente precisa de você”. Os interessados em realizar doações podem obter informações pelo número 0800-34-2062, de segunda a sexta-feira, das 8h às 20h, e no sábado, das 9h às 14h. As doações podem ser feitas por meio de cartão de crédito, boleto bancário, débito em conta ou por meio dos mensageiros do hospital que vão até a casa do doador. A dona de casa Maria Lúcia Rezende de Castro, de 57 anos, é uma das muitas pessoas que colabora. “Sempre quis ajudar o Hospital do Câncer. Nunca pensei que um dia iria precisar, mas meu pai adoeceu e vi ainda mais a importância que é ajudar uma instituição que faz por tanta gente. Por 8 anos, meu pai foi muito bem atendido. Há 13 anos, colaboro e sou muito grata por tudo que recebi dessa instituição”, diz Maria.

Imagem área: Obras iniciais vão contemplar o Centro de Pesquisa e Diagnóstico e o Centro de Cuidados Paliativos

Imagem área: Obras iniciais vão contemplar o Centro de Pesquisa e Diagnóstico e o Centro de Cuidados Paliativos

 

HOSPITAL DO CÂNCER ATENDE UBERLÂNDIA E REGIÃO HÁ 15 ANOS 

Graças ao Grupo Luta Pela Vida, ONG responsável pela construção, ampliação e manutenção do Hospital do Câncer em Uberlândia, e a doações da população da cidade e região, atualmente, mais de seis mil pacientes são atendidos com qualidade em um ambiente humanizado. O Hospital do Câncer recebe também aproximadamente dois mil pacientes novos por ano, além de realizar entre 1.900 e 2.100 mil procedimentos de alta complexidade em radioterapia e quimioterapia por mês. Progressivamente, a instituição não só ampliou o número de atendimentos, como também avançou em estrutura, tecnologia, número de profissionais e de voluntários. Em 2000, o térreo começou a funcionar com capacidade para tratar pacientes por meio de quimio e radioterapia. Em 2004, houve a inauguração da enfermaria, no primeiro andar, atualmente com 24 leitos para acolher os pacientes que precisam de internação. Posteriormente, o Hospital do Câncer inaugurou o terceiro andar que abriga a pediatria. Além da ampliação na estrutura física, o hospital procurou avançar também em equipamentos e adquiriu novos aparelhos de radioterapia, com tecnologia de última geração, sempre com crescimento competente da equipe multiprofissional. “A tecnologia atual permite oferecer um tratamento próximo a de outros grandes centros públicos de combate ao câncer”, destacou o oncologista do Hospital do Câncer, Rogério Araújo. Erick Barbosa de Sousa, de 28 anos, faz parte da história de 15 anos do Hospital do Câncer. Aos 4 anos, foi diagnosticado com leucemia. Ele conta que, quando descobriu a doença devido a fortes dores no calcanhar, o atendimento ainda era na UFU e o Hospital do Câncer funcionava numa casa pequena. Ele se lembra bem de todas as intervenções que precisou passar. “Tive que drenar os meus pulmões. Nas idas e vindas, fiquei quase um ano internado, passando por tratamento intenso. Recebi alta definitiva em 2008. Apesar de ter sido acometido por essa doença avassaladora, tenho boas lembranças das amizades que fiz. Recordo-me com carinho do doutor Rogério, doutora Zaíra e do Luis, um amigo que guardo no coração.” O Hospital do Câncer atende pacientes de mais 80 cidades da região. Em 2014, a instituição hospitalar recebeu pacientes de cidades, como Uberlândia, Araguari, Ituiutaba, Tupaciguara, Monte Carmelo, Patos de Minas, Paracatu, Coromandel, Monte Alegre de Minas, Prata, Estrela do Sul, Patrocínio, Abadia dos Dourados, Carmo do Paranaíba, Nova Ponte, Canápolis, Iraí de Minas, Centralina, Araporã, Romaria, Capinópolis, Indianópolis, João Pinheiro, Santa Vitória, Cascalho Rico, Guimarânia, Lagoa Formosa, Cruzeiro da Fortaleza, Grupiara, Buritis, Lagamar, Douradoquara, Campina Verde, Serra do Salitre, Unaí, São Gotardo, Presidente Olegário, Rio Paranaíba, GuardaMor, Vazante, Matutina, Gurinhatã, Varjão de Minas, São Gonçalo do Abaeté, Cachoeira Dourada e Lagoa Grande, entre outras.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *