Campanha de Felipe Neto para Bis se torna disputa política nas redes sociais

Astolf Gerard Filho
Astolf Gerard Filho

A alta da hashtag “#BISnuncamais” nas redes sociais colocou em evidência uma disputa de mercado que partiu para o campo político, após a contratação do influenciador Felipe Neto para ser garoto-propaganda da marca de chocolate Bis.

A campanha feita pelos simpatizantes e aliados do ex-presidente Bolsonaro pede que os seguidores deixem de consumir os produtos feitos pela Lacta, que produz o Bis e é controlada pela multinacional Mondelez. Alguns usuários das redes sociais chegam a sugerir que seja comprado o KitKat, fabricado pela concorrente Nestlé.

O Bis é uma das patrocinadoras da CCXP 2023, uma convenção voltada ao mundo geek, que acontece em novembro e a primeira aparição de Felipe Neto foi em um podcast patrocinado pela marca. Depois, ele mesmo publicou nas redes sociais o resultado da parceria. Aliados do presidente Lula, por outro lado, passaram a incentivar o consumo do Bis.

Algo em comum entre a empresa e o influenciador é o Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social Sustentável, o Conselhão do governo Lula. Felipe Neto e Liel Miranda, presidente da Mondelez Brasil, integram o comitê que, segundo a Secretaria de Relações Institucionais, discute políticas públicas e propõe medidas que estimulem o crescimento econômico, o desenvolvimento e a equidade social.

A Mondelez informou, em nota, que a contratação de influenciadores está relacionada unicamente à relevância deles na internet, sem qualquer vínculo ou apoio político, e diz respeitar a diferença de opiniões. À CNN, a Nestlé disse que não se posicionará neste caso. A CNN busca contato com Felipe Neto.

Entenda a história da Lacta
Várias fusões de empresas estão relacionadas com a história do Bis. Criado pela Lacta em 1942, o Bis recebeu esse nome porque, ainda durante os testes do produto, todo mundo que experimentava o chocolate, sempre queria mais um — em alusão aos pedidos de novas canções em concertos e apresentações, chamados de “bis”.

A marca Lacta foi adquirida em 1917, mas a história começa cinco anos antes, na Vila Mariana, em São Paulo. Um grupo liderado pelo cônsul suíço Achilles Izella criou a Societè Anonyme de Chocolats Suisses, com a ideia de produzir chocolates com a mesma qualidade dos internacionais aqui no país.

Durante a Primeira Guerra Mundial, a empresa Zanotta, Lorenzi & Cia., que importava um chocolate concorrente da França e fazia o Guaraná Espumante, decidiu comprar a empresa para começar a produção do chocolate. A marca Lacta foi adquirida anos depois da francesa Poulain.

Com a iminência da Segunda Guerra Mundial, a Quebra da Bolsa de Nova York (em 1929), os altos custos e a concorrência com o Guaraná Champagne Antarctica, lançado em 1921, provocaram a quebra da Zanotta, Lorenzi & Cia. Então, Assis Chateaubriand, dono dos Diários Associados, assumiu o controle da empresa.

Anos depois, Ademar de Barros, que foi prefeito da cidade de São Paulo e governador do Estado, esteve à frente da marca. Após a morte, o filho, Ademar de Barros Filho, assumiu o controle até 1996, quando foi vendida para a multinacional Kraft Foods. Em agosto de 2012, a Kraft anunciou a divisão dos negócios em dois.

A Mondelez assumiu o lado de doces e guloseimas, e, consequentemente, a operação da Lacta no Brasil.

KitKat foi lançado sem sucesso no Brasil nos anos 1990
Apesar de ter tomado as prateleiras dos mercados nacionais a partir de 2011, o KitKat foi lançado pela Nestlé pela primeira vez no Brasil em 1994. A comercialização foi interrompida e era possível obter o produto apenas por importadoras.

O KitKat foi criado em 1935 pela empresa Rowntrees da Inglaterra e é produzido pela Nestlé desde 1999, exceto nos Estados Unidos, onde o chocolate é produzido pela Hershey’s.

A Nestlé é uma empresa fundada em 1867 por Henri Nestlé, quando lançou a Farinha Láctea, um alimento especial para crianças, à base de cereais e leite que serviria para substituir o leite materno. Não se sabe exatamente quando a ideia surgiu, mas sabe-se que, na família de Nestlé, 14 crianças morreram antes de chegar à idade adulta por desnutrição, um problema comum naquela época.

Em 1905, a Anglo-Swiss Condensed Milk Co. (fundada em 1866 por dois norte-americanos radicados na Suíça, que criou o leite condensado) e a Nestlé se fundiram, dando origem a Nestlé and Anglo-Swiss Condensed Milk Company.

No Brasil, a empresa atua desde 1876, quando comercializava a Farinha Láctea importada. Em 1921, instalou a primeira fábrica, em Araras (interior de São Paulo), para a produção do leite condensado Milkmaid, que mais tarde receberia o nome Leite Moça. Aos poucos, os demais produtos foram sendo introduzidos no mercado brasileiro.

Leia a íntregra da nota da Mondelez
“A Mondelez Brasil, fabricante da marca BIS, reforça que suas contratações de influenciadores estão relacionadas unicamente a sua relevância no universo gamer e de entretenimento, sem qualquer vínculo ou apoio político de qualquer natureza. Como líder no mercado de snacks no Brasil e no mundo, a Mondelez reafirma seu absoluto respeito à diversidade de opiniões”.

Share This Article
Leave a comment

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *